quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Nevada em São Cornélio












São Cornélio, aldeia da freguesia de Travancas, situada na encosta do planalto, a uma altitude acima de 700 m, foi atingida pelas nevadas deste rigoroso Inverno, tal como as outras duas aldeias da freguesia.
Às 18 horas do dia 25 de Janeiro o cenário em São Cornélio era este: neve, nevoeiro cerrado e camião cisterna espanhol, carregado de leite, imobilizdo na valeta da estrada.
No dia seguinte vim de Travancas a São Cornélio em bicicleta.

Deixei-a no quintal de um morador ...

... e andei pela aldeia, com nunca antes o fizera, à procura de marcas deixadas pela nevada. Tencionava ir a Argemil também mas o tempo foi escassso.



Na periferia, casas novas, bem bonitas ...
... cobertas pelo manto de brancura da neve.

Apesar da baixa temperatura, o sol brilhava, derretendo a neve caída no dia anterior e durante a noite.




Encontrei o menino, no alto da aldeia, a puxar por duas cabras, para as prender junto a umas giestas, para elas terem que comer.

O Márcio, é o nome do menino, não foi à escola, em Mairos, por causa do gelo e da neve. Ficou em casa a ajudar a avó.

Entrando no núcleo antigo vê-se que São Cornélio não difere de outras aldeias transmontanas. Casas de granito, desabitadas, degradadas …
População envelhecida …

Rua da Eira. Enquanto na sede da freguesia os nomes das ruas remetem para a Revolução dos Cravos, (Rua 25 de Abril, Rua 1º de Maio, Rua 28 de Setembro, Rua General Humberto Delgado … ) em São Cornélio a efeméride passa ao lado. As ruas chamam-se de Camões, de Santo António, da igreja …


Embora estando geograficamente próximas e fazendo parte da mesma freguesia, Travancas e São Cornélio são sociologicamente diferentes.


Tradicionalmente, Travancas vota maioritariamente no Partido Socialista e São Cornélio vota no Partido Social Democrata, em sintonia com a vizinha freguesia de Mairos.




A caminho da igreja



O padroeiro da paróquia é São Cornélio, um papa do século III.
A população dispunha de uma capela mas construiu em lugar altaneiro uma igreja moderna. Os praticantes, quando não há missa na aldeia, vão a Travancas e é habitual carregarem o andor de São Cornélio na festa do Senhor dos Aflitos.















Vídeos da Nevada em São Cornélio

video

Estrada de São Cornélio na noite do nevão

video

Num dia de neve, sem aulas

Clicar no título para ver o vídeo em formato maior

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O "Day After" da Última Nevada


Travancas coberta da neve




No dia seguinte à nevada, por volta das 10h da manhã, recomecei a ronda pela aldeia com o objectivo de, mais uma vez, fotografar a paisagem, o património construído, animais e o homem na sua relação com o meio.


Sou da Terra Quente mas do que eu gosto mesmo é da Terra Fria!



Em criança ficava encantado quando, da varanda de casa, olhava para as alturas da Serra de Bornes e para o planalto da Carrazêda de Ansiães.






Adicionar imagemHoje, parte do percurso foi feito em bicicleta, o que me permitiu ir mais longe, até São Cornélio.

Durante a noite, apesar da temperatura ser negativa, não houve formação de gelo, e assim, o risco de as rodas escorregarem e eu cair da bicicleta, ser menor.






As ruas, apesar do sol brilhar, continuavam sem ninguém, o que aliás é habitual, mesmo quando não neva.

Muitas casas estão fechadas e a população residente é idosa.

A primeira pessoa que encontrei foi este senhor a limpar a neve com uma pá no seu quintal.

Na estrada os carros circulavam normalmente nos dois sentidos, para Chaves e para Argemil. Desconheço se passavam para São Vicente da Raia.
A senhora tentou subir a rua, em vão, fez marcha atrás e deu a volta pela estrada. Contou com a ajuda do vizinho para evitar que o carro derrapasse contra o muro. video


























O senhor Delmar foi das poucas pessoas que encontrei na rua

















Branca é a Noite

As nevadas não param ...


Depois da última nevada há dias, a neve voltou a Travancas pela sétima vez este Inverno.

Não estava na aldeia quando começou a nevar na tarde de Domingo do dia 25 de Janeiro. Tinha ido à Feira do Fumeiro em Montalegre no Sábado e só regressei hoje ao fim do dia.







Embora do Alvão e do Vale de Chaves avistasse, emocionado, a beleza da Serra da Padrela e do Vale Grande cobertos de neve, ao chegar à encosta de Mairos, a neve tornou-se um problema, dificultando-me a circulação. Como era abundante, receei não poder passar da albufeira de Mairos para cima.




À saída de São Cornélio. quando vi carros parados na estrada, um tractor em manobras e um camião espanhol, carregado de leite, imobilizado na valeta, temi o pior. Receei ficar imobilizado na estrada ou ter de voltar para trás.
video




Com muita dificuldade, circulando em cima da neve, cheguei a Travancas por volta das 18 horas.






Durante o serão a neve voltou a cair engrossando a camada de brancura.

















Não há barulho, não há pegadas nem se vê ninguém. Só o latido do cão quebra o som do silêncio na noite alva e gélida.


















Os farrapos de neve , grandes, caídos silenciosamente, são um tónus para o espírito.




Forno do povo
Se não chover durante a noite, derretendo a neve ...





... as obras em casa vão ficar de novo paradas por um dia ou mais porque os pedreiros não podem vir, barrados pela neve e pelo gelo!



Na Segunda-feira ...

Travancas vai acordar isolada ...











terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Mais uma Nevada!!

Mais uma vez fui bafejado pela sorte de me encontrar em Travancas durante uma nevada.
A frequência e intensidade com que as neves têm caído desde o fim de Novembro fazem recordar os tempos em que os Invernos eram mais frios e longos nas terras altas de Trás-os-Montes.


Nevou dia 20 de Janeiro de 2008 desde a uma da madrugada até por volta das 11h da manhã.
Aqui ficam algumas das imagens que captei durante as duas horas em percorri a aldeia à procura da beleza proporcionada pelo manto de neve.





O Zé Alberto e a esposa, a pensar na família, em França


























À procura da neve descobri este bonito recanto










Casa de sportinguista com certeza






Casa de benfiquista, sem dúvida, a desejar Feliz Natal



























Estrada transitável pouco tempo depois da neve ter parado de cair





















Nunca esta casa me pareceu tão bonita como agora, sob a neve










Sr. Américo Alves




Técnicos das Águas de Portugal. Será que a água vai deixar de ser do povo?




















O fiel amigo






Limpeza da neve à porta de casa











Padeiro de Tronco não teve problemas em chegar a Travancas, apesar da neve










Bonita árvore de azevinho