terça-feira, 31 de março de 2009

Sonho de Emigrante à Venda



Deus Quer,
O Homem Sonha e a Obra Nasce
Fernando Pessoa





Deus quer que o mundo seja melhor e o Homem há muito que sonha com esse mundo.




Para quem emigra, os primeiros sonhos são os que antecedem a partida.


Há uma grande expectativa sobre as novas terras, as pessoas que se vai encontrar, os costumes e a dificuldade com a língua do país de acolhimento. Mas tudo se supera com o espírito guerreiro de conquistar uma vida melhor e a vontade de vencer.




O sonho de muitos emigrantes é voltar à terra para casar, regressar de vez, voltar a viver nessas casas, naqueles cafés, naquelas ruas, naquelas esquinas, naquelas paìsagens...


Foi assim com António*. Decidiu deixar a terra em busca do seu sonho.





Sonhou e a obra nasceu.




Porém, "Para fazer uma obra de arte ... é preciso também viver um grande amor". (Mozart)



Sem constituir família em bases sólidas, o sonho do emigrante morreu. A "maison" ficou inacabada, outros projectos de vida surgiram...












Vende-se






Bem situada no planalto, à saída de São Cornélio ...



A casa de sonho tem largas vistas sobre a Cota de Mairos, Travancas, Castelo de Monforte e as serras do Larouco e do Barroso.




* O nome é ficção, assim como a história. O único facto não imaginado é a localização da casa, por acabar, posta à venda.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Vídeos dos Nevões II

Tenho diversos filmes das nevadas deste Inverno que não estão disponíveis porque só agora estou a aprender a fazer os vídeo-clips e a colocá-los, aos poucos, no blogue. O trabalho de montagem e edição é moroso porque implica escolha de músicas e cortes nas filmagens sem qualidade técnica.
Estes vídeos podem ser vistos, no youtube, em formato de maior dimensão, clicando em canal de eurolusopt ou sobre o título de cada um dos vídeo-clips aqui apresentados.

video

Brincando na Neve
A criança brinca com o escorrega, na primeira grande nevada.


video

À Lenha, na Neve

A alegria das crianças, no primeiro nevão do ano, é contagiante.

. video

Café Central num Dia de Neve

O Café Central, nos dias de nevada, é o espaço para onde convergem os poucos habitantes que não se intimidam com o frio fora de casa. Sem ninguém nas ruas, o vai-e-vem silencioso ao café é o sinal de que a vida na aldeia continua.

video

Caminhar na Neve

Quando neva as ruas de Travancas cobrem-se de branco e ficam vazias de gente. Porém, os mais resistentes ao frio gelado deixam o calor das casas e caminham sobre a neve até ao Café Central.

video

Passeio de Tractor na Neve à Cota de Mairos

quarta-feira, 11 de março de 2009

Sabores e Saberes de Travancas

O Fumeiro da 'São'


Na Feira Sabores & Saberes de Chaves, realizada no último fim-de-semana de Janeiro de 2009, encontrei a Dona Conceição, de Travancas, num stand, vestida a rigor, a expor e comercializar o seu saboroso fumeiro.


Não lhe comprei bucho, alheiras, chouriças, nem salpicões porque a encomenda já estava apalavrada há tempos, ainda antes do Dia de Santa Luzia, altura em que já faz frio, e data a partir da qual, tradicionalmente, começa a matança do porco.

Este ano, o frio intenso, bom para curar a carne, até chegou mais cedo, com uma grande nevada, no final de Novembro, como há muitos anos não se via.


Chaves tem fama de ter bom fumeiro mas é nas terras altas do concelho, sujeitas a invernos rigorosos, como Travancas, que o fumeiro é produzido seguindo a sabedoria tradicional, passada de mães, tias, avós e vizinhas, às gerações mais novas.





Na Feira dos Sabores e Saberes provei estes doces de batata feitos pela Dona Conceição. Confesso que fiquei rendido à iguaria.


Desconhecia, inclusive, que da batata se podia fazer bolos. O sabor, que apreciei, resulta, certamente, da arte de saber fazê-los!
Mas a matéria prima também conta, e Travancas, como Capital da Batata, produ-las de qualidade superior.


Quando saí de Travancas, deixei estas serras cobertas de neve mas trouxe comigo produtos da terra.








Tudo que está no prato veio de lá. Os grelos e o chouriço de abóbora são da Dona Conceição. Nesta refeição tudo era bom mas o sabor do chouriço ainda me faz crescer água na boca!