terça-feira, 14 de abril de 2009

Ainda há Pastores







Apascentando o rebanho
Nas encostas do planalto que vai da Bolideira à raia persiste a ancestral prática do pastoreio em regime extensivo. Dadim, Roriz, Mairos, Travancas e São Vicente são algumas das freguesias onde a presença de pastores é visível a quem circula na estrada.

Pastora de ovelhas
Excepção à regra, numa profissão tradicionalmente reservada ao sexo masculino.

Neste planalto, rico em pastagens, predomina o gado ovino.

Porém, as frequentes nevadas caídas no Inverno privaram os animais de pastagens, obrigando os pastores a deixar os rebanhos nas lojas e a suportar os custos da alimentação do gado.






Na freguesia de Travancas, segundo estimativas de um pastor, há cerca de 2 500 ovelhas, distribuídas por quatro rebanhos em São Cornélio, outros quatro em Argemil e um na sede da freguesia.





No entanto, para quem apascenta o rebanho na zona da raia deixou de ser rentável ter gado desde que os espanhóis começaram a deitar herbicida nas pastagens. Envenenado, o gado morre e os prejuízos são muitos.



O leite produzido é escoado, não há produção local de queijo.




Madredeus - O Pastor

Clicar em pastor para ouvir a música

Ai que ninguém volta

Ao que já deixou

Ninguém larga a grande roda

Ninguém sabe onde que andou

Ai que ninguém lembra

Nem o que sonhou

E aquele menino canta

A cantiga do pastor

Com as Cabras na Neve

video

1 comentário:

at ento disse...

Olá.
Ainda há, pois as imagens não deixam dúvidas, pastores e ovelhas e neve que teima em rivalizar com lã e afinal são dois elementos que se combinam muito bem nas noites de frio. reportagem impressionante esta que nos recorda, a nós por ca´, o tempo em que havia muitos rebenhos e se sentiam os cheiros e os sons tão característicos deste deambular dos rebanhos. Hoje ´~a é permitidos eles passarem na aldeia e por isso deixou de se ver rebanhos.
Adoramos estar aqui. obrigado por este momento.
Saudações amigas.
At Ento