segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Santos de Travancas vão à cidade


Andores de São  Bartolomeu e São Cornélio participaram na procissão em honra  de Nossa Senhora das Graças, em Chaves, dia 19 de Setembro de 2010.







Quando o senhor padre perguntou na missa, se já tinham pensado nos andores, uma voz feminina respondeu-lhe, de imediato, que "De São Cornélio vai um"! Desconheço o que se passou posteriormente. Na procissão estiveram os andores de São Cornélio, padroeiro da aldeia com o mesmo nome, e o de São Bartolomeu, padroeiro da freguesia de Travancas.



Desde 2005 que, depois de uma interrupção superior a meio século, se organizam festejos em Chaves, em honra de Nossa Senhora das Graças, padroeira da paróquia de Santa Maria Maior. A participação dos padroeiros das paróquias do concelho é o objetivo dos organizadores.




Celebração da eucaristia no Jardim Público, domingo à tarde. À mesma hora,  outros escolhiam o lugar onde ficar, para ver passar a procissão.



E ali ao lado, um grupo de amigos jogava às cartas, indiferente à cerimónia religiosa.



Seis bandas de música abrilhantaram a festa.




A procissão saiu do Jardim Público, passou pela Madalena e dirigiu-se para a Ponte Romana



No São Tiago vai à vinha e encontras bago! - disse-me o senhor Abílio Rodrigues, de Tronco, para justificar a existência do cacho de uvas. na mão do santo. Nunca vi uma procissão com tantos andores. No entanto ouvi dizer que em 2009 havia para cima de oitenta. enquanto este ano seriam apenas quarenta e seis.


Padroeiro da freguesia de São Bartolomeu de Travancas, acompanhado por fieis das aldeias de Argemil e Travancas.



Residentes e naturais de São Cornélio, na companhia do padroeiro da aldeia.



O termo da procissão foi a igreja matriz de Chaves, ao lado da qual se realizou a cerimónia de encerramento.


Oito militares do Regimento de Infantaria de Chaves - RI 19, carregaram o andor de Nossa Senhora das Brotas, cuja capela está no largo da antiga prisão, no Forte de São Neutel.


Até hoje,  via São Bartolomeu como padroeiro de Travancas; São Miguel, de Argemil; São Cornélio, como patrono da aldeia que leva o seu nome e Nosso Senhor dos Aflitos, como padroeiro da freguesia. Essa visão, aprendi agora, não é correta!



Sendo São Bartolomeu o padroeiro da freguesia, entendo o motivo pelo qual os de Argemil estiveram com os de Travancas a acompanhar o andor.



Irmanados na fé, separados na ação! São Cornélio, levando o seu próprio andor, demarca terreno e autonomiza-se  relativamente à sede da freguesia. A aldeia cresceu muito em número de casas. Já antes, há uns vinte anos atrás, ter cemitério e igreja nova foram sintomas da vontade, determinada,  da aldeia construir identidade própria.







Paroquianos de Travancas, em cima, e de São Cornélio, na foto de baixo, felizes na relação com o Senhor.










A mesma fé, as mesmas flores, diferentes na cor!



Para o ano, mercê de Nossa Senhora das Graças,  os  santos padroeiros descerão de novo a montanha e hinos de júbilo soarão  nos céus de Aquae Flaviae!





2 comentários:

António Ramos disse...

Parabéns pela excelente reportagem desta grande procissão. Orgulho-me como natural da freguesia de Travancas de ser o organizador pelo quarto ano consecutivo. Sinto-me muito contente pela adesão das pessoas das paróquias do nosso concelho. Vou colocar a minha reportagem no Domingo, no meu blog: DE_SVO.BLOGS.SAPO.PT.
António Ramos

euroluso disse...

Obrigado pelos seus comentários. Espreitei o seu blogue e aproveito para lhe dar os parabens pela organização da procissão.