sexta-feira, 3 de abril de 2015

Fornada da Páscoa

Folar de Argemil da Raia

A Páscoa, em casa da dona Joaquina, rodeada de filhos, filhas, noras, genros e seis netos, é tempo de festa.  E nas terras da raia, festa pascal não se faz sem folar.





A velha casa de granito, hoje com outras funções, serve de arrecadação de lenha e tem um forno onde coze fornadas de saboroso pão caseiro, amassado por si.


Esposa de antigo moleiro no Rio Mouce, tem viva na memória os tempos de antanho. Comparando as farinhas com que se fazem os folares de agora, não tem dúvida quanto à superior qualidade da farinha moída nos três moínhos do marido.


A fornada da Páscoa é grande que a família também não é pequena e o coração, benigno, chega aos amigos.






Os folares, além de farinha de trigo, ovos, azeite, água quente e sal, levam presunto  e vários tipos de chouriço


Forno a lenha cheio de folares.


Além do forno tradicional,  a família tem outro no quintal, feito de metal mas aquecido a lenha, onde, prevendo uma grande fornada, a dona Joaquina cozeu os folares sobrantes com a ajuda de zelosos filhos. 


Hoje, a cozedura dos folares de carne; amanhã, a fornada de pão centeio e mistura.



Uns dias na terra, a celebrar a Páscoa em família. Com idêntico desvelo, momentos antes estivera  com o pai, a lavrar-lhe uma leira.


Folar de Argemil da Raia


Em Argemil, a festa da Ressurreição é também a festa do renascer da Natureza. Na montanha está-se mais perto d´O de Cima!


3 comentários:

Anónimo disse...

“Rai(a)’s partam o diabo!”

“‘Stá bem de ber” que é por estas e por outras que este bloguista «oportunista» tido e achado é nas Terras da “RAIA” ….que a ele o deixam inteirinho de regalado e a mim PARTidinho de «inbeija»!

M., 2015-04-04
Tupamaro

euroluso disse...


Gosto sempre do que escreves, no teu estilo exagerado, jocoso, grandiloquente! Quando publicas outro livro?
Até outro Castromil de Castela?
Boa Páscoa!

Anónimo disse...

Guarda-nos um bocadinho!! Até segunda!