quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Grande Nevada de Natal

Três nevões em uma semana!
Último, o maior de todos.

Couves pencas sob a neve.



Obrigado ao Betinho do Café Central
Por me ter emprestado a máquina fotográfica. A minha, com a humidade, deixara de funcionar.

Carro rebocado por tractor desde Mairos até Travancas.


Rua da estrada
Travancas e outras aldeias da montanha só não ficam isoladas por muito tempo graças à circulação e limpeza dos caminhos feita pelos tractores.


Obrigado ao senhor Modesto
Por me ter mostrado os seus requinhos! As fotos vão ficar num post próprio.

Cão do senhor Modesto

Carros velhos. Em vez de ficarem a apodrecer à chuva e à neve porque não guardá-los num armazém e transformá-los em carros antigos?


Pinheiro na rua da estrada, um postal de Natal!


Terminada a nevada, o senhor Chico pega na pá e faz a limpeza da neve diante de casa. Já no Inverno passado o apanhei nessa faina!


Escultores do boneco de neve no largo de São Bartolomeu.


Os rapazes, bem divertidos, empurravam a carrinha à espera de serem filmados mas quem falhou fui eu que perdi a oportunidade de fazer um excelente vídeo!


Ainda pensei subir à torre sineira para um clic diferente mas o medo de um trambolhão tocou mais forte!



Para cá do rigueiro, no bairro da Barreira, moram alguns vizinhos que me habituei a ver passar, ora para irem e virem do trabalho, ora para irem e virem do Café Central. Assim era com os senhores Manuel e Acúrcio, que Deus os tenha em descanso. Assim é com o senhor Delmar, pacífico e bom vizinho, sempre afável quando lhe peço para tirar uma foto que ilustre a vida na aldeia.

As meninas do senhor José Alberto e da dona Ana.

Elementos profano e cristão na decoração da porta de casa. Em Travancas são poucas as habitações com decorações da quadra natalícia, ao contrário de Mairos onde até se veem diversas árvores iluminadas à noite.



Dona Mercedes, à porta de casa, a recordar familiares na Alsácia, em França.


Quando andava a fotografar a aldeia sob a neve encontrei na estrada este jovem de Argemil, primo do senhor Celestino, a caminho da terra. Deve ser dos poucos que resistiram à emigração.


Mais um boneco de neve feito no quintal da casa do cruzeiro.


Senhora da casa do cruzeiro desce escadas para ir à lenha?


Lá no alto, ao lado esquerdo da igreja paroquial, está a casa de granito com muitas janelas que vai ser demolida, consumada a venda. Uma tristeza!


Adeus Travancas, terra de neves. Vou ver se consigo sair! Bom Natal e bom Ano Novo para os que ficam.

5 comentários:

Rui disse...

Obrigado.

Sempre dá para matar a saudade, e ver com a nossa terra é bonita.

Rui, filho do Modesto

euroluso disse...

O Rui, por associação de ideias, fez-me lembrar o Jacinto, personagem da "Cidade e as Serras" e a música de José Afonso, "só se lembra dos caminhos velhos quem tem saudades da terra".

emidio disse...

Olà ,
Obrigado pela fotos da gente de TRAVANCAS . Beijinhos para todos e bon ano novo para todos .
Emidio,filho do Demar

euroluso disse...

Obrigado, Emídio.
Bom Ano Novo para si e a sua família. Um abraço

Esmeralda disse...

Olá
- Que fotos fantásticas, Adriano!!!
Parabéns!!!! Lindas, lindas!!!!
Abraço-vos
Esmeralda