sábado, 20 de fevereiro de 2021

Procuro dono

 Gémeos de gata vadia

 Gatinho siamês?

 

 
A primeira vez que os vi foi à noite, no cabanal, a correr sorrateiramente, escondendo-se na lenha. Intrigado, cheguei a pensar se não seriam leirancos. 
 
 
 

Dias depois percebi que os dois gatinhos, embora diferentes, eram gémeos e que  tinha sido a mãe a traze-los. 

 

No cabanal encontram comida de dois gatos, aqui  crescidos porque me habituei a tratar deles sempre que me encontro na aldeia.

Todavia, alimentar quatro gatos é encargo incomportável! Por isso, os gatinhos vão ter de procurar dono!

Alguém os adota?



domingo, 14 de fevereiro de 2021

Vacinados contra a Covid-19

 Utentes e funcionários do Lar do Senhor dos Aflitos

Terminou, sem nenhum óbito, o surto no Lar de Travancas. 
 
 
 
 
Utentes e funcionários, incluídos nos grupos prioritários da primeira fase da vacinação, tiveram de esperar que o surto fosse ultrapassado para levarem a primeira toma da vacina, o que ocorreu  na semana passada.  


Alguns utentes foram hospitalizados em Chaves e Vila Real. Um deles, a Júlia, esteve internada no hospital da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, de onde voltou recuperada.


Em Mairos, tal como no Lar de Travancas, não houve mortes.  Perto, só no Lar de São Vicente da Raia é que faleceu um utente.

Parabéns aos funcionários do  Lar de Travancas.




domingo, 24 de janeiro de 2021

UF Travancas e Roriz vota Marcelo

78,5% - votação esmagadora  manchada pela abstenção

O presidente Marcelo a fazer o discurso da  sua reeleição.

 

Votação nas quatro secções de voto da União de Freguesias de Travancas e Roriz.

Os resultados não são oficiais, foram recolhidos  por mim  nos editais publicadoos.

Lapso - A votação de São Cornélio e Argemil está trocada.  A correção  será feita amanhã.


 

Travancas  - Secção de voto nº1

Presidente da mesa de voto


Eleitora de Travancas a exercer o dever cívico.


A abstenção de 72,5% na mesa de voto de Travancas foi elevada.  Dos 149 eleitores inscritos, só 41 votaram contra 108 abstencionistas. Houve um voto em branco e  nenhum nulo. 

Sete eleitores ( 14,29% dos votantes)  votaram em André Ventura, percentagem superior à que o candidato obteve a nível nacional.



Argemil - Secção de voto nº 3

Casal das  Poulinhas, como a maioria dos eleitores,  foi votar a seguir ao almoço.

 

Roriz -  Secção de voto nº 4
 

Eleitores de Roriz  à espera de votar


 
Duas senhoras e duas jovens  simpatiquíssimas na mesa da secção de voto  nº 4, a mais feminina da União de Freguesias


Em Roriz, tradicionalmente socialista, 82,05% dos votantes deram o voto a Marcelo e 8,9%  a André Ventura, o segundo candidato mais votado.



sábado, 23 de janeiro de 2021

Frio Polar e Geadas

Do Réveillon ao São Sebastião

Desde a nevada de Ano Ñovo até ao dia 20 de Janeiro, dia de São Sebastião, não houve noite que não geasse.

 

 

Lugares menos  expostos  diretamente à luz solar com  neve congelada dias sucessivos.

 

 

Sol de Inverno
Dias ensolarados, sem nuvens, sem ventanias mas temperaturas máximas raramente acima de cinco graus celcius.


 

Manhãs perigosas para a circulação automóvel.

 

 

Couve do Natal queimada pelo gelo.

 

Terá sido batido o recorde de temperatura mínima? Na Montanha o frio suporta-se melhor que em Chaves, coberta pelo nevoeiro

 

Água congelada na pia, ao fim de vários  dias de geadas..

 

Favas não germinadas sem força para romper a terra congelada.

 

 Em Janeiro o Malhado  anda às gatas.

 


 
Nem  a couve galega resistiu a tantas geadas.


Rua da Igreja dezassete dias depois da nevada de Ano Novo.  Mas o frio polar está  por dias.

 

A chuva, anunciada nas previsões, chegou na véspera do São Sebastião,  dia de Mesinha comunitária em Dornelas. 

O dia do santo marca também o fim da época natalícia, para se Cantar os Reis, desfazer o presépio e a árvore de Natal, montada no dia 8 de Dezembro, dia da Senhora da Conceição..




quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

O último pôr do Sol

Por detrás dos castanheiros

Era uma vez dois anosos castanheiros bravos  através de cuja ramagem, nos ocasos de Inverno, via o pôr do Sol no  campanário.

 

Numa destas manhãs ensolaradas, mas de frio polar, munido  de moto-serra elétrica, deitei abaixo  os castanhos e dois carvalhos americanos. De  pé  ficou uma nogueira, que agora pode ramificar livremente.

 

 

 

Quando os conheci, há mais de quarenta anos, os castanheiros do Cabanco  já eram velhos. O tronco era tão grosso que não cabia no abraço de um homem só.

 
No tempo do avô Benedito as castanhas alimentavam recos para cevar. A carne, depois da matança, transformada  em  rojões, salpicões, chouriças, alheiras, sangueiras e presuntos, era o goBerno da casa  durante o ano inteiro. 

 
 
Mas o progresso tecnológico transformou o mundo rural na segunda metade do século XX. Mudou mais no espaço de uma geração do que em centenas de anos, antes.
 
 
As casas no bairro Além do Rigueiro deixam de ter cozinhas para o fumeiro e lojas para animais. Deixam de se criar recos para cevar  e as castanhas bravas do Cavanco ficam no chão a apodrecer. 

 

Sem função alimentar, os dois anosos castanheiros - e dois carvalhos que plantei mas não transplantei em devido tempo - convertem-se em  elementos  paisagísticos que humanizam o bairro.


 
Serrei-os, tenho lenha, mas não fiquei mais feliz.  Os castanheiros abatidos, pela ligação a várias gerações familiares  e pela memória que deles guardo, são parte de  mim que deixa de existir. 

 

 

 

 

Sem moto-serras continuariam em pé por mais tempo


E este  não teria sido  o último pôr do sol no campanário, por detrás dos velhos castanheiros!



 


sábado, 16 de janeiro de 2021

Dona Alzira faleceu

Choremos, choremos, choremos!


Consternação
Morreu a vizinha amiga 
Esta manhã, no hospital de Chaves, vítima de doença  prolongada, pós-operatória
 A sua imagem não morre, ficará na nossa memória
Sentidos  pêsames  aos familiares.
 
 

Devido à Covid-19 não houve velório. Funeral, no Domingo, após missa de corpo presente.


Cortejo fúnebre  para o cemitério de Travancas.  Ao fundo, a Serra do Larouco;  devido às geadas, ainda salpicada de branco, 17 dias após a  nevada de Ano Novo.


Ofício fúnebre celebrado pelo senhor padre João Miguel, em substituição  do senhor padre Delmino, em recuperação  no hospital de Valpaços.


R. I. P.

Requiescat In Pace

Fica em Paz



quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Serras cobertas de neve

Day After da nevada de Ano Novo

A neve caída  dia 29 de dezembro, no Dia de Ano Novo e dois dias depois, graças às geadas, continua a  brilhar no cume das serras galegas mais altas. 

Provérbio

Em janeiro sobe ao outeiro, se vires verdejar, põe-te a chorar; se vires nevar, põe-te a cantar. Bom ano agrícola?

 

Em primeiro plano o Bairro  das Poulinhas, em Argemil.

Arjumil, era como no século XIX escrevia  o padre nos assentos de registo paroquial e como ainda se  ouve dizer às pessoas mais idosas.

 

A serra lombada, coberta de neve, pela longitude parece ser a  Cabeza  da Manzanedacujo ponto mais alto mede 1781 metros.  

Nela fica a única estação de esqui da Galiza, frequentada principalmente por galegos e portugueses. Fica mais perto  que a Serra da  Estrela, para quem vive em Bragança, Chaves ou Vila Real.



A serra nevada e sem nuvens é uma tentação para passar  o dia a esquiar na Manzaneda!  
 
Saindo às 8 da manhã e passando pela A Gudinha, até Pobra de Trives, chega-se à estação de esqui à hora de abertura. 
 
Na base alugam-se esquis e botas ao dia; e compram-se  bilhetes para andar  nas telecadeiras até à hora do  fecho, às 17 horas. Ao  jantar estamos em casa!
 
 
 
Em pandemia há porém um óbice. Apesar da fronteira não estar fechada, a  falta de teste negativo à Covid-19, se a Guardia Civil o pedir, pode dar origem a multa pesada.
 


As mesmas serras do Maciço de Ourense vistas  do cruzamento para  São Cornélio.  "


São Vicente da Raia ao fundo. Contemplar tanta beleza faz bem à saúde!

 

Mais para a direita, na direção de Vinhais e Bragança, na Alta Sanábria, fica Pena Trevinca, cume de 2127 metros, o mais alto da Galiza. Descendo para o outra vertente fica Leão e Castela. .

 

Em primeiro plano o  armazém  da oficina  de pneus do Senhor  Zé, no termo de São Cornélio.

 

Mairos e a Cota. Ao  fundo a Manzaneda coberta de branco.

 

Finalmente, a Ocidente, encoberta pelas nuvens, a nossa Serra do Larouco, 1535 metros de altitude, a terceira mais alta de Portugal.

Um regalo da Natureza esta vista das montanhas!