domingo, 30 de novembro de 2008

Nevão histórico em Travancas

.
Boneco de neve no Largo de São Bartolomeu, sala de visitas da aldeia.
Travancas é terra de neve, faz parte da Terra Fria transmontana. Porém, com as alterações climáticas os nevões deixaram de ser tão intensos e frequentes. Por isso, para todos os que de nós sentem saudades dela, é uma alegria vê-la chegar cedo e em força neste Outono.


Sábado, dia 29 de Novembro, levantei-me cedo para apreciar a paisagem nevada, iniciada na tarde do dia anterior.

O cabanal e o quinteiro estavam cobertos por um manto de neve fofa e o termómetro, na varanda, indicava dois graus negativos.







A neve, branca e leve, branca e fria, pôs tudo da cor do linho”










Subi à Roçada, no primero passeio pela aldeia.







Alfaias agrícolas na eira do Tó Ribeiro
Cruzamento da estrada para Arzádegos (Galiza)

Casa na Rua de Espanha
Até à estrada que vai de Travancas para Argemil não encontrei ninguém na rua. Por onde andei, era o primeiro a pisar o manto de brancura que, de manhã, cobria Travancas e todo o planalto ao redor!
Só nas proximidades do Café Central ...

... é que vi um ou outro morador que ia ou vinha do café.
A neve, ora continuava a cair...










... ora abrandava.

O condutor deste carro bem manobrou e acelerou para subir a rua que contorna o largo de São Bartolomeu. Em vão, nem empurrado! Para mim foi um momento divertido, entretido a filmar a cena.

Espero colocar o vídeo no You Tube, partilhando desse modo um momento imperdível a que tive a sorte de assistir com a máquina fotográfica em punho.






Satisfeito, pelo primeiro contacto com o nevão, regressei a casa, para o calor da lareira.






Durante o dia fui várias vezes à rua com a finalidade de fotografar Travancas cobertas de neve.
Afinal, embora não fosse a primeira vez que via nevões em Travancas, era uma sorte nevar com tanta intensidade quando me encontrava na aldeia.
Fui para o bairro da igreja.
Ainda subi à torre sineira mas tive medo de escorregar.







Portão de ferro e neve.




Do adro tem-se uma bonita vista das casas situadas do outro lado da ribeira do Cabanco.
A ribeira, onde as mulheres mais velhas lavavam a roupa, foi canalizada.

No papel de repórter fotográfico cruzei-me com alguns moradores. Um deles, num breve diálogo, comentou, com imaginação, que parecia o Pai Natal! lol

Senhor Delmar a caminho do Café Central



A rua, junto ao lar da terceira idade, animou-se com a passagem de homens e crianças ...

... saídos à rua para ir buscar lenha.






Uma família, unida pelo trabalho e na alegria.






A mimoseira não aguentou tanta neve!
Que lindo, uma mulher tipicamente transmontana! Esta senhora, com o xaile sobre os ombros, parece saída da capa do livro que tenho em casa, Terra Fria, de Ferreira de Castro e cuja acção se passa no Barroso há mais de meio século.

A Terra Fria é cada vez menos fria mas Travancas, sob a neve, faz avivar a memória desses tempos idos.







São Bartolomeu, padroeiro de Travancas, abrigado da intempérie.


O largo do coreto é local de festejos: Baile, no São Bartolomeu; e bonecos de neve, no nevão, feitos por crianças grandes e pequenas.





O divertimento é patente.


Uma das razões que me levou a Travancas foi a recolha das abóboras. O Tó Ribeiro ensinara-me a plantá-las. A colheita não foi grande mas o suficiente para ainda dar a amigos.

Durante a estadia experimentei fazer doce de abóbora. A primeira tentativa, durante três dias, em panela de ferro, foi decepcionante. O doce ficou em caramelo, duro como pedra!

A segunda tentativa, feita na noite anterior à partida da aldeia, já resultou mas ainda ficaram a faltar o cravo-da-índia e pedacinhos de amêndoa, como faziam a avó Luísa e a mãe.













O nevão permitiu transformar as ruas da Roçada e 1º de Maio em pistas de tabogan.






A espessura da neve permitia inclusive a utilização de esquis, se os houvesse à mão! Uma questão a pensar!






Para o menino o nevão vai ser inesquecível. Brincou, brincou ….
… mas faltavam-lhe amigos para o acompanharem na brincadeira!



Novos e velhos apreciadores de neve. O senhor Acúrcio, apesar da idade e da dificuldade em andar, não prescindiu do seu habitual passeio ao café, único lugar público da aldeia onde se pode estar com amigos e vizinhos, com algum conforto, fora de casa.








Travancas, na terra fria,
Vestiu-se toda de branco;
A neve leve caía,
Cobrindo-a com seu manto.





Tão bonito foi de ver
Tudo raso de alvura!
Lençol imenso de linho,
Estendido lá na altura!




Como é bonita a aldeia
Debaixo deste nevão
Há muito que não se via
Assim, tão grossa, no chão!

Quadras feitas por Mariana

10 comentários:

Anónimo disse...

maravilhosas fotos do nevão pena nao puder deslocar a travancas estes dias.
se tiver possibilidades tire umas fotos da rua 25 de abil em travancas ..... a csa do jaime maldonado

um abraço
jaime maldonado

Anónimo disse...

antony_maldonado@sapo.pt

Anónimo disse...

E andam para aí a espalhar aos quatro ventos que só na Estrela é que há neve.
Pois que venham até esse magnífico planalto que, mesmo sem neve, é bem mais interessante que esses locais de turismo de massas.
Já percebi que estás por cá. Espero que páres quando passares para Mirandela.
Abraço grande para ti e para a Neusa.
Tino

Emidio Nascimento disse...

Obrigado palas fotos .Beijinhos de Franca . Emidio filho do Delmar e da Mercedes

paulo disse...

bonitas fotos.... que saudades!!... um grande abraço para as gentes e Travancas.........Paulo, filho do Modesto e Lurdes

trinta e melo disse...

Ao autor destas fotos o meu reconhecimento pelo excelente trabalho, e pela oportunidade de poder rever tão belas imagens,pois sou de Travancas, e sempre que aí vou, acalento saudosamente a esperença de rever tão espectaculares nevões, mas até agora, fico-me pelas belas fotos que me permitiram matar saudades.

euroluso disse...

Agradeço os comentários feitos e desejo a todos um bom ano de 2009

vera disse...

ola...esta de parabens... relata muito bem a beleza da minha terra... sem duvida o melhor sitio para se poder estar...

intelligence disse...

louis vuitton handbag
louis vuitton handbags
vuitton
louis vuitton bags
louis vuitton bag

Anónimo disse...

Adriano, acabei de ver os films e as fotos, ai que lindoooosss, que saudades de tudo, do frio, do calor,de voces, de tudo que passei ai com vcs. Muitas recordações me trouxestes, pena que não estou ai para baermos uns papos, depois de te ligo durante asemana para te contar as novidades.... bjs da mana e da Fatima e do Jayro. Feliz Páscoa a todos meus amores.